AFETIVIDADE E MEIO AMBIENTE: Crianças distribuem flores para a comunidade em projeto escolar

Texto e fotos: Rodrigo K.
 
Em projeto que desenvolve afetividade, empatia e meio ambiente, pequenos alunos da Escola Municipal Djalma de Almeida César cultivam e entregam flores à comunidade
 
Alunos da Escola Municipal Deputado Djalma de Almeida César distribuíram mudas de flores para a comunidade, na manhã desta quarta (09), com a companhia de seus professores, pais e mães. A atividade faz parte de um projeto que ajuda as crianças a desenvolverem a empatia, afetividade e o cuidado com o outro, por meio do cuidado com o meio ambiente.

O projeto ‘Pequenas mãozinhas semeando amor’, que envolve a turma A do Infantil II, é realizado pela diretora Elizabeth Geron, professora Jeziane Batista, pedagoga Dayse Galdino de Oliveira e a assistente Ana Geremias. Na próxima semana ele será apresentado no Encontro Paranaense de Educação Ambiental (EPEA), em Londrina.

Trata-se de um trabalho que envolve áreas importantes do desenvolvimento infantil, aliado ao conteúdo curricular, explica a pedagoga Dayse Galdino. “No projeto, as crianças cuidam e dão amor à plantinha, aprendendo a preservar. Eles desenvolveram diversas atividades em sala de aula, mexeram com a terra, plantaram, cultivaram e distribuíram mudas na escola. E aí tivemos a ideia de distribuir aos motoristas, para envolver a comunidade em um gesto de gentileza, junto com a família”, relata a pedagoga.

Para a diretora Elizabeth Geron, o projeto envolve a sensibilização das crianças. “Mostramos que é preciso o cuidado com o outro, consigno mesmo e com os aninais. O trabalho envolve uma série de sentimentos que se desenvolvem na criança”, conta ela.

Nessa metodologia, a ideia é que a afetividade demonstrada com a planta seja demonstrada também com as outras pessoas. “De que cuidados a planta precisa? Água, amor, sol, terra. E o ser humano também precisa de cuidados, de uma conversa, um abraço. A afetividade também é trabalhada com eles para que também transmitam para a plantinha”, conta a pedagoga Dayse.
 
Famílias participam

A atividade também ajuda a família a se envolver no aprendizado a que as crianças estão tendo acesso. Fernanda Almeida Simão, mãe do Vinícius, ajudou o filho a entregar flores aos motoristas. “Achei importante, porque às vezes, em casa, não temos essa sensibilidade de trabalhar isso com as crianças. Eu nem sabia que ele tinha aprendido a mexer com a terra. Em casa não temos esse espaço, por ser um apartamento. Ela também aprovou a ideia de que as crianças aprendem a cuidar de si mesmas e a respeitar as outras crianças por meio do cuidado demonstrado com as flores. “Não temos muitas vezes esse olhar da criança, às vezes por ser filho único. Então acho muito importante eles aprenderem a cuidar deles mesmos e também dos outros”, considera a mãe.