CUIDADO: Ponta Grossa registra 1º caso autóctone de dengue em dois anos

por Rafisa Ramos
 
- Notificação foi registrada em dezembro de 2018 e confirmada em janeiro de 2019 -
 
Na tarde desta quarta-feira (9) a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) reuniu representantes de todos os departamentos para realizar um plano de contingência contra o Aedes Aegypti. Isso aconteceu por conta do primeiro resultado positivo da doença na cidade, depois de dois anos. A notificação foi registrada em dezembro de 2018, porém a confirmação saiu em janeiro deste ano. O caso é da região do Contorno, em uma paciente do sexo feminino, 38 anos, através do sistema particular de saúde.
A notificação considerada autóctone, quando o cidadão reside na cidade, já está sendo tratado de forma prioritária pela Prefeitura Municipal, através do departamento de Zoonoses e pelo programa de combate à Dengue. Iniciando com o Fumacê, medida usada após a confirmação de casos autóctones, em quatro ciclos, com intervalo de quatro dias, durante um mês. “Assim que recebemos a notificação as medidas já foram tomadas, a Secretaria de Saúde fez a delimitação de campo, onde em um raio de 350º são feitas orientações e busca do mosquito adulto. E agora, neste segundo momento, após a confirmação, estamos trabalhando com o fumacê”, destaca a supervisora de Vigilância em Saúde, Priscila Alves.
Neste momento a cidade de Ponta Grossa passa para um segundo nível no que diz respeito a doença, onde é necessário o envolvimento de todas as secretarias municipais para conter a proliferação do mosquito, como por exemplo, Meio Ambiente, Serviços Públicos, Agricultura e Educação. A Prefeitura está trabalhando para intensificar a limpeza em terrenos baldios e aplicar possíveis multas aos proprietários que venham a não cumprir as notificações, realizar limpezas de fundo de vale, com retirada de pneus, por exemplo. Orientações para professores, pais e alunos quando as aulas voltarem também será uma das iniciarem. “As nossas equipes trabalham diariamente, passando pelos bairros e pelos pontos estratégicos, orientando e fiscalizando, mas é necessário que não apenas o poder público faça sua parte, é importante que a população tenha consciência e faça o check list de água parada dentro da sua própria residência”, explica Priscila.
Os moradores que precisarem de uma orientação, tiverem dúvidas ou quiserem fazer denúncias podem entrar em contato através dos telefones da Zoonoses, 3226-8566 e 3901-1485, e também pelo Sistema Prefeitura 156.