Flicampos começa hoje com palestra e contação de histórias

Por: Luana Caroline Nascimento
 
     Começa hoje o VII Festival Literário dos Campos Gerais (Flicampos), que segue até quinta-feira, 14, com uma programação intensa de palestras, falas interativas, apresentações no Calçadão e entidades sociais e intervenções literárias dentro de ônibus. Hoje, 11, será a primeira noite de palestras e o convidado da noite é Luís Henrique Pellanda. A atividade será no Cine-Teatro Ópera, às 19h, com entrada gratuita. Na mesma noite terá ainda contação de histórias com contadores de todo o Brasil, que participam durante esta semana do IV Festival Nacional de Contadores de Histórias. Os eventos são realizados pela Prefeitura de Ponta Grossa, por meio da Fundação Municipal de Cultura.
     O palestrante de hoje é autor dos livros ‘O macaco ornamental’ e ‘Asa de sereia’, e organizador dos dois volumes da antologia ‘As melhores entrevistas do Rascunho’. Foi finalista do Prêmio Jabuti 2012 na Categoria Contos e Crônicas com o livro ‘Nós Passaremos em Branco’. Luís relata que os pais não tinham o costume de ler, mas que um dia cruzou com uma enciclopédia em casa. “Quando criança, queria ser escritor, mas aquilo me parecia tão fantasioso quanto ser astronauta. Não achava possível ser escritor em Curitiba, uma cidade provinciana. Eu ainda não sabia, e nem era culpa minha, que se tratava de um lugar capaz de produzir tanta literatura”, relata.
     Aos dez anos o jovem conheceu a literatura de Dalton Trevisan e percebeu a riqueza literária do Paraná. “É importante que uma terra conheça seus autores, para que aprenda a se enxergar com novos olhos”, afirma, em referência ao projeto do Ano da Cultura Paranaense em Ponta Grossa, do qual o Flicampos faz parte. Luís aponta que os festivais literários no interior do Brasil são fundamentais para a “saúde da inteligência brasileira”.
 
Programação segue na terça-feira
     Amanhã, 12 de junho, o Flicampos recebe o escritor Henrique Schneider, vencedor do Prêmio Paraná de Literatura 2017 na categoria Romance com a obra ‘Setenta’. O autor publicou o primeiro livro, ‘Pedro Bruxo’, na época da faculdade. No ano de 2009, por voto direto, foi eleito patrono da Feira Regional do Livro de Novo Hamburgo. Em 2012, foi patrono da 16ª Feira do Livro de Lindolfo Collor. Além dos livros individuais, Henrique participou de diversas antologias. Possui textos publicados na Espanha, México e Argentina. A palestra começa às 19h, também no Cine-Teatro Ópera, com entrada gratuita.
     O escritor interiorano destaca que os eventos literários fora dos grandes centros urbanos do país cumprem um papel fundamental na aproximação dos novos leitores e do universo dos livros. “As grandes riquezas hoje estão nos eventos regionais e nas pequenas editoras”, afirma Henrique.