EMPREENDEDORISMO: Alunos municipais aprendem a usar seu próprio dinheiro para realizar sonhos

Rodrigo K. Silva
Fotos: Jucilene Thomaz
 
Após realizar as feiras de empreendedorismo e comercializar seus próprios produtos, alunos utilizaram os recursos em atividades de lazer
 
Milhares de alunos das escolas municipais estão aprendendo que podem realizar diversos sonhos através do empreendedorismo e da economia de seus próprios recursos. Neste final de ano eles juntaram dinheiro, de maneira coletiva, para executar ações de despedida e confraternização, com base no que aprenderam durante o programa Jovens Empreendedores – Primeiros Passos. Para 2018, o objetivo é aumentar o número de turmas e de alunos participantes.
 
O JEPP é feito em parceria da Secretaria Municipal de Educação (SME) com o Sebrae, onde mais 100 professoras da Rede Escolar recebem novos conhecimentos para trabalhar com o tema Empreendedorismo em sala de aula. A longo do ano, as crianças de diversas séries desenvolveram ideias de produtos e serviços que foram comercializados em feiras de empreendedorismo, realizadas entre novembro e dezembro. Participaram 7 mil alunos de 06 a 10 anos, em 71 escolas municipais.
 
“Nesta atividade, os lucros são revertidos em benefício dos próprios alunos. São eles mesmos que decidem, coletivamente, o que fazer com os valores obtidos através das feiras de empreendedorismo organizadas por eles mesmos nas escolas”, conta Jucilene Thomaz, da equipe de Projetos Especiais da SME. Ela observa, ainda, que a grande maioria dos pequenos empresários optou por realizar ações como ir ao cinema ou casas de festas, fazer piqueniques e fazer confraternizações entre eles. Outra opção foi utilizar os recursos para a formatura das crianças dos quintos anos, que estão deixando as escolas municipais e partindo para a rede estadual.
 
Um dos exemplos foi o da Escola Municipal Professor Paulo Grot, no Jardim Carvalho. As crianças contrataram uma empresa para o fornecimento de brinquedos e uma festa foi organizada na instituição. Dependendo do valor dos produtos e da quantidade de turmas e de alunos envolvidos, os valores obtidos variam entre R$ 600 e R$ 2 mil. “A interação das crianças foi notável. Eles entenderam que podem realizar sonhos e alcançar objetivos, desde que trabalhem para para isso”, avalia Jucilene.