Servidores da Prefeitura podem aderir ao programa sócio-torcedor do Operário

Com a vantagem de cinco gols conquistados fora de casa o Operário Ferroviário está a um passo de conquistar o título do Campeonato Brasileiro da Série “D” e já tem o seu lugar assegurado na “C” de 2018, precisando do apoio da torcida ponta-grossense para manter um elenco capaz de permanecer entre os sessenta principais clubes do futebol nacional.
Nesta quarta-feira (6) o prefeito Marcelo Rangel e o presidente do “Fantasma”, Marcos Cosmoski, assinaram convênio que possibilita aos funcionários da Prefeitura de Ponta Grossa a adesão ao programa de sócio-torcedor, com desconto das mensalidades em folha de pagamento. Secretários municipais, vereadores e dirigentes do alvi-negro de Vila Oficinas prestigiaram a cerimônia, que contou com a presença do meia Chicão, capitão do time operariano.
Ao receber a camisa alvi-negra com a assinatura de todos os jogadores e a comissão técnica, Rangel não escondeu a emoção, destacando o amor da comunidade princesina ao Operário, que em cento e cinco anos de história é um símbolo de Ponta Grossa, que precisa ser preservado. “É com orgulho que vemos o sucesso do futebol operariano, dois anos depois de ter conquistado o Campeonato Paranaense em cima do Coritiba”, enfatizou o prefeito.
Além do convênio, Rangel confirmou a doação de um terreno público para a construção do Centro de Treinamentos do Operário Ferroviário, que nesta semana teve a aprovação de projeto junto ao Ministério do Esporte para a captação de recursos da ordem de 2,5 milhões de reais. “É a nossa contribuição para concretizar um espaço para a revelação de talentos e a formação de atletas e melhores cidadãos”, completou o mandatário.
O vereador Paulo Balansin, que também é vice-presidente do Operário, destacou a importância do sócio-torcedor para manter a competitividade do elenco alvi-negro. “Neste ano o investimento mensal do clube chegou à casa dos trezentos mil reais, sendo necessário pelo menos o dobro deste valor para ter um grupo em condições não apenas de manter a vaga na série ‘C’, mas para subir de divisão.”
Por sua vez o presidente da Fundação Municipal de Esportes (Fundesp), Marco Antonio Macedo, lembrou que a ideia de estender aos servidores da Prefeitura o acesso ao programa de sócio-torcedor partiu de uma conversa com o presidente do Grupo Gestor do Operário, Álvaro Góes. “É importante a união de todos os setores para que o clube siga a sua trajetória de sucesso; dentro das limitações impostas pela lei, sempre buscamos parcerias nas categorias de base e estaremos implantando núcleos da Escola da Bola nos campinhos de futebol society, em busca de novos talentos”, finalizou o dirigente.