Prefeitura dá prosseguimento ao Polo de Confecções

Por Millena Sartori
 
Governo municipal promoveu reunião de trabalho com empresariado
 
Na tarde desta segunda-feira (24) a Prefeitura Municipal deu um novo passo para o desenvolvimento do Polo de Confecções de Ponta Grossa. Após a Justiça Federal reconhecer como propriedade municipal a área em que se espera a instalação do parque, a Secretaria de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional (SMICQP) reuniu os empresários interessados em investir no local para discutir o prosseguimento do projeto.

Há cerca de duas semanas o sistema judiciário sentenciou a antiga área do horto municipal, localizada ao lado do viaduto do Santa Maria, às margens da BR-376, como posse do Município por meio de uma ação de usucapião. “A consolidação do Parque de Confecções sempre foi uma das prioridades do nosso governo, mas dependia de decisão judicial favorável ao Município para que pudéssemos ceder terrenos às indústrias interessadas, e agora isso passa a ser possível”, salienta o secretário da SMICQP, Paulo Henrique Carbonar, destacando que o projeto, que estava paralisado desde 2011, já está “saindo do papel”.

Nesta retomada oficial das discussões entre os setores público e privado ficou definido, entre diversos temas, que o próximo passo é a readequação dos projetos das indústrias, que foram feitos há sete anos e serão atualizados para posterior aprovação. “Combinamos que em até 60 dias as empresas devem encaminhar as propostas para regularizar as áreas. A partir delas serão feitos os projetos de lei para doação dos terrenos, que seguem para aprovação da Câmara dos Vereadores”, explica o coordenador municipal de Desenvolvimento Industrial, Comercial e Tecnológico, Adilson Strack.

Para o empresário Enoc Mainardes Jr. o incentivo municipal é essencial para a instalação das indústrias e a criação do Polo de Confecções. “Queremos investir neste projeto porque esta é uma oportunidade de crescimento e aumento de produção local, numa localização positiva no ponto de vista logístico”, afirma o empresário.

A área total do Polo conta com espaço suficiente para pelo menos 20 lotes, e já há quase dez empresas em negociação. Os empreendedores do ramo de confecções interessados em fazer parte do projeto devem procurar a Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional para desenvolver suas propostas.
 
 
Novo polo industrial
 
O prefeito Marcelo Rangel ressalta que nos últimos anos Ponta Grossa recebeu grandes investimentos no Distrito Industrial, e o Polo de Confecções é mais um eixo de desenvolvimento que deverá destacar a cidade como referência em um setor específico. “Uma das características deste projeto é que ele fomenta a inserção feminina no mercado de trabalho, já que a maior parte da mão de obra do setor de confecções é formada por mulheres”, exemplifica Rangel.

Para o prefeito, esta é mais uma conquista para a comunidade. “Ao lado do Aeroporto e do Mercado Municipal, por exemplo, o Polo de Confecções é um daqueles projetos esperados pela população e que aguardava ações intensificadas do governo para virar realidade”, analisa Rangel.