é node

Tempo é favorável à reprodução do aedes aegypti

A temporada de chuvas, que ocasionou o acúmulo de água em diversos pontos da cidade, seguida por dias ensolarados, é propícia à reprodução acelerada do mosquito aedes aegypti, principal vetor da dengue. O alerta foi feito ontem pelo coordenador do Programa Nacional de Combate à Dengue em Ponta Grossa, o médico veterinário Leandro Monteiro Inglês, que integra o Centro de Controle de Zoonoses, da Secretaria Municipal de Saúde.Além da dengue, esse mosquito é também o responsável pela febre hemorrágica (dengue hemorrágica) e pela febre amarela. O inseto é fácil de distinguir: é escuro e rajado de branco nas pernas e no corpo. E, menor do que um pernilongo comum. De acordo com o coordenador do programa de combate à dengue, o mosquito adulto vive de 30 a 35 dias, e as fêmeas põem ovos de quatro a seis vezes, nesse período. Em cada vez, ela põe cerca de 100 ovos, sempre em locais com água limpa e parada. Se não encontra recipientes apropriados para depositar seus ovos, a fêmea pode voar distâncias de até três quilômetros até localizar um ponto que considere ideal.A temporada de chuva, explica Leandro, complica as coisas: um ovo de aedes aegypti pode sobreviver até 450 dias – um ano e dois meses – mesmo que o local em que ele foi depositado fique seco. Se esse local receber água novamente (quando há uma chuvarada, por exemplo), o ovo volta a ficar ativo, podendo se transformar em larva e depois em pupa, e atinge a fase adulta num prazo curtíssimo: de dois a três dias.O mosquito transmissor da dengue, que já foi encontrado em praticamente todos os bairros de Ponta Grossa, costuma picar as pessoas durante o dia.Segundo as instruções de Leandro Monteiro Inglês, os casos de dengue aumentam no verão porque faz mais calor e chove bastante, aumentando os locais com água parada, que podem se tornar criadouros do mosquito. Se nesses locais que se enchem de água com as chuvas já existirem ovos do mosquito, esses ovos ficam novamente ativos, e em pouco tempo se transformam em mosquitos adultos.Leandro lembra que para se reproduzir, o aedes aegypti usa todo tipo de recipiente que as pessoas costumam usar no dia a dia, como garrafas, inclusive descartáveis, latas, pneus, pratos embaixo de vasos de plantas. Em todo caso, lembra o veterinário, a existência desse mosquito não significa que haja dengue. Ele só transmite a doença se picar uma pessoa já contaminada. Ainda assim, o melhor meio de prevenir a dengue é evitar a proliferação do mosquito.(Box)Cuidados básicos· não deixe acumular água em pratos de plantas· lave bebedouros de aves e animais com escova ou esponja, e troque a água pelo menos uma vez por semana· limpe calhas e laje; se tiver piscina, mantenha a água sempre tratada· mantenha caixas d’água, poços, latões e filtros bem fechados· guarde garrafas vazias com a boca para baixo· elimine a água acumulada em plantas como bambus, bromélias, etc.· guarde pneus em locais onde não sejam alcançados pela chuva· verifique nos terrenos baldios se existem pneus, latas ou garrafas que possam acumular água· identifique casas desocupadas e tente localizar os donos para verificar se existem criadouros de aedes aegypti· mantenha lixo tampado e seco· tampe garrafas plásticas antes de joga-las fora

Tempo é favorável à reprodução do aedes aegypti

A temporada de chuvas, que ocasionou o acúmulo de água em diversos pontos da cidade, seguida por dias ensolarados, é propícia à reprodução acelerada do mosquito aedes aegypti, principal vetor da dengue. O alerta foi feito ontem pelo coordenador do Programa Nacional de Combate à Dengue em Ponta Grossa, o médico veterinário Leandro Monteiro Inglês, que integra o Centro de Controle de Zoonoses, da Secretaria Municipal de Saúde.Além da dengue, esse mosquito é também o responsável pela febre hemorrágica (dengue hemorrágica) e pela febre amarela. O inseto é fácil de distinguir: é escuro e rajado de branco nas pernas e no corpo. E, menor do que um pernilongo comum. De acordo com o coordenador do programa de combate à dengue, o mosquito adulto vive de 30 a 35 dias, e as fêmeas põem ovos de quatro a seis vezes, nesse período. Em cada vez, ela põe cerca de 100 ovos, sempre em locais com água limpa e parada. Se não encontra recipientes apropriados para depositar seus ovos, a fêmea pode voar distâncias de até três quilômetros até localizar um ponto que considere ideal.A temporada de chuva, explica Leandro, complica as coisas: um ovo de aedes aegypti pode sobreviver até 450 dias – um ano e dois meses – mesmo que o local em que ele foi depositado fique seco. Se esse local receber água novamente (quando há uma chuvarada, por exemplo), o ovo volta a ficar ativo, podendo se transformar em larva e depois em pupa, e atinge a fase adulta num prazo curtíssimo: de dois a três dias.O mosquito transmissor da dengue, que já foi encontrado em praticamente todos os bairros de Ponta Grossa, costuma picar as pessoas durante o dia.Segundo as instruções de Leandro Monteiro Inglês, os casos de dengue aumentam no verão porque faz mais calor e chove bastante, aumentando os locais com água parada, que podem se tornar criadouros do mosquito. Se nesses locais que se enchem de água com as chuvas já existirem ovos do mosquito, esses ovos ficam novamente ativos, e em pouco tempo se transformam em mosquitos adultos.Leandro lembra que para se reproduzir, o aedes aegypti usa todo tipo de recipiente que as pessoas costumam usar no dia a dia, como garrafas, inclusive descartáveis, latas, pneus, pratos embaixo de vasos de plantas. Em todo caso, lembra o veterinário, a existência desse mosquito não significa que haja dengue. Ele só transmite a doença se picar uma pessoa já contaminada. Ainda assim, o melhor meio de prevenir a dengue é evitar a proliferação do mosquito.(Box)Cuidados básicos· não deixe acumular água em pratos de plantas· lave bebedouros de aves e animais com escova ou esponja, e troque a água pelo menos uma vez por semana· limpe calhas e laje; se tiver piscina, mantenha a água sempre tratada· mantenha caixas d’água, poços, latões e filtros bem fechados· guarde garrafas vazias com a boca para baixo· elimine a água acumulada em plantas como bambus, bromélias, etc.· guarde pneus em locais onde não sejam alcançados pela chuva· verifique nos terrenos baldios se existem pneus, latas ou garrafas que possam acumular água· identifique casas desocupadas e tente localizar os donos para verificar se existem criadouros de aedes aegypti· mantenha lixo tampado e seco· tampe garrafas plásticas antes de joga-las fora