-->

Agência do Trabalhador supera meta de empregos

Durante o período de outubro de 2005 a setembro de 2006, a Agência do Trabalhador de Ponta Grossa superou – com folga – a meta estipulada de colocação de candidatos no mercado de trabalho. Nesse período, indicado como referência pelo Ministério do Trabalho, a Agência conseguiu empregar 6,16% acima da meta estipulada. Foi a única agência do interior do Paraná, explicou ontem o gerente da Agência, Antonio Larocca Neto, durante audiência com o prefeito Pedro Wosgrau Filho, acompanhado pelos funcionários daquela repartição. A meta, explicou Larocca, é a colocação no mercado de trabalho de 2% da População Economicamente Ativa do município (em Ponta Grossa, pouco mais de 3 000 pessoas). No entanto, os resultados foram substancialmente melhores, com a colocação de 3 261 pessoas. O resultado alcançado pela agência, que chegou a 106,16% da meta, é bastante superior à das demais. A de Cascavel, por exemplo, ficou em 78,7% da meta, ao passo que Londrina chegou a 71%. Em Maringá os resultados foram ligeiramente inferiores, com 68,5% e, em Foz do Iguaçu, ainda mais modestos: apenas 30,8 da meta.O resultado, explicou Larocca, tem forte significado social, produzindo forte impacto na vida de centenas de famílias. Ele também destacou, durante a audiência com o prefeito Pedro Wosgrau Filho, que foram determinantes as parcerias com organismos como o Serviço de Obras Sociais e, em particular, a ação da Secretaria de Qualificação Profissional. Essa mobilização, explicou, permitiu que fossem estabelecidos novos serviços e o atendimento a demandas específicas, como documentação pessoal e mesmo o encaminhamento de candidatos de volta às salas de aula, para cursos de capacitação profissional ou complemento do ensino regular.Larocca também revelou que a Agência do Trabalhador alcançou candidatos de outras cidades: de 500 candidatos colocados, 24 eram moradores de outras cidades, que buscaram aquela unidade em busca de colocação profissional. A Agência também anotou um índice de 5% de empregados com mais de 50 anos. Um número ainda mais expressivo de portadores de necessidades especiais foi integrado através do Programa de Apoio desenvolvido pela Agência. Através do programa municipal de qualificação profissional e dos cursos profissionalizantes e de capacitação ofertados, foram disponibilizados cursos de auxiliar de linha de produção, condutor de veículos de passageiros e de carga, panificação, mecânico diesel, técnico de construção civil, customização, gestão, técnico de vendas, eletricista predial, manicuro e pedicuro e auxiliar de serviços domésticos, fruto de investimentos superiores a R$ 91 000.SIMÃOO secretário de Qualificação, Luiz Simão Stazczak, destacou a importância de se obter tais resultados mesmo diante de um quadro “de grandes dificuldades no país e no município”. Segundo ele, a equipe da Agência do Trabalhador foi “determinante” para a obtenção daqueles resultados. “Hoje damos exemplo: mostramos resultado”, declarou o secretário, lembrando que a cada nova colocação no mercado de trabalho, há reflexos positivos que não se resumem à pessoa do novo empregado, mas atinge toda a sociedade: “cada emprego formal desonera a procura por serviços públicos de saúde”, exemplificou.O prefeito Wosgrau Filho cumprimentou a todos os integrantes da equipe da Agência do Trabalhador e lembrou: “ninguém consegue nada sozinho. Por isso essas parcerias são tão importantes para o sucesso do trabalho de vocês e de todos nós”. A Agência, disse o prefeito, “conseguiu fazer com que as coisas melhorassem significativamente, na área do emprego”, e isso representa um grande ganho administrativo: “estamos quase chegando à metade de nossa administração e estamos já colhendo bons resultados. Isso é fundamental para a melhoria das condições de vida da nossa população, e é isso que importa. Política a gente faz em época de eleição. Fora da eleição a gente trabalha para que as coisas aconteçam”.Agência empregou mais de 5 000De acordo com o resultado apresentado ontem pela Agência do Trabalhador, em 2005 ingressaram no mercado de trabalho 3 082 pessoas e, em 2006, outras 2 184. Se for tomado por base uma média de salário por trabalhador, somente os novos empregos gerados este ano movimentaram mais de R$ 11,2 milhões. Outro suplemento importante foi dado pelo Banco Social. As operações desenvolvidas desde sua implantação, em 2001, chegaram a pouco menos de R$ 700 000. Em 2006, a liberação ficou em apenas R$ 69 000, mas este ano foram liberados mais de R$ 133,7 mil.Apenas através dos prestadores de serviços autônomos, pelo Disque Pequenos Serviços, foram contratados 1 412 trabalhadores, com um movimento financeiro de exatos R$ 999 840.Outros R$ 32 775 são representados pelos benefícios concedidos a 75 portadores de necessidades especiais. Também entra no cômputo, além de R$ 91 775 aplicados em cursos de qualificação, os encaminhamentos de seguro-desemprego para 12 236 pessoas, representando R$ 21,3 milhões. No total, o município foi beneficiado com R$ 34 milhões, de acordo com o levantamento da Agência do Trabalhador.